18 de julho de 2013

Por que somos um?

Se nos analisarmos bem, veremos que somos plenamente iguais uns aos outros, porém em graus diferentes, de acordo com o desenvolvimento e experiência vivida. 

Se todos temos um pouco de cada um, podemos concluir que cada indivíduo é uma parte diferente dele mesmo. Cada ser humano que você vê de maneira "externa", na verdade, é um reflexo, uma continuação de você mesmo. Como se houvesse partes mais ou menos desenvolvidas de um lado da sua personalidade: algumas mais rebeldes, outras mais tranquilas, pensantes, vingativas, questionadoras... 

O que você não possui, sua outra parte, livre e independente, desenvolveu por razão e vida própria. Por isso, por mais diferente que alguém pareça, na verdade, é fator primordial para fazer-te entender a você mesmo. O que te falta? O que te sobra? Na verdade NADA. Somos completos. Tudo pode ser encontrado e equilibrado através de sua outra parte.

É também por este motivo que, ao fazer mal para um semelhante, você machuca a você mesmo.

No bom sentido, não passamos de partes: algumas mais ativas, outras mais medrosas. Partes: individuais, porém fragmentos de um todo. Continuações mais ou menos acentuadas. Cada pessoa que você vê é parte de você mesmo. Entenda-as para entender a si próprio. 


 Cada homem é uma parte mais desenvolvida de lados menos (ou mais) pulsantes que você mesmo possui. São eles que vão desenvolver um lado faltante de sua existência para a harmonia do todo.

0 comentários: