18 de janeiro de 2012

Verdade

Se o conteúdo do universo depende da consciência do observador, a verdade pode não ser verdade, dependendo do ponto de vista de cada um? Não. O que seria da verdade se ela fosse relativa? Ela não existiria, seria mentira. O fato de cada ser visualizar uma situação ou objeto de acordo com seu universo, não exclui o fato do conteúdo continuar existindo.

A verdade existe. O que muda são os pontos de vista em relação à ela. Para uns ela pode ser dura, cruel, para outros, pode ser maravilhosa e benéfica. A situação também pode interferir no modo de se compreender a realidade. Um indivíduo pode achar relevante aceita-la ou não da maneira como a vê e, neste caso, pode distorcê-la de acordo com sua necessidade, da maneira que lhe é conveniente. Entretanto, também vai depender da consciência do observador fazê-lo (mas ela vai continuar existindo).

O que acontece é que a maioria das pessoas tem uma grande dificuldade em aceitar a existência da verdade, em sua plenitude e justificam de maneira grotesca a ausência da mesma. Todo efeito possui uma causa, é a lei da natureza, da existência. A verdade deve ser atribuída a algo, sempre. Jamais deve ser tida como algo que não existe de maneira absoluta, em certos casos. Até porque, novamente digo, se ela não existisse, seria mentira.

As pessoas precisam ter consciência de que a maneira que se vê a realidade é “culpa” exclusivamente delas. A forma com que visualizam qualquer coisa depende exclusivamente de sua mente, de seu universo, mas isso não vai mudar a essência daquela verdade, o porque de sua existência. É um pouco complicado a princípio, mas com um pouco mais de reflexão e menos intervenção do ego, se torna simples.

É preciso visualizar a situação de forma abrangente e não individual. Aquilo que mais parecer simples e coerente para o decorrer do universo, para a ordem natural das coisas, é a verdade em, essência. Se está sendo bom ou ruim, vai depender de seu gosto, de seu estilo de visa, de seu comodismo (no bom sentido da palavra), resumindo, de seu universo. E isso não é nada demais, porque, afinal, é a lei da vida, em todos os casos. O conteúdo do universo sempre vai depender da consciência do observador – mas isso não muda o modo com que as coisas se movem nele. Se você enxergar a situação de maneira abrangente, vai perceber.

Para concluir o tema, quero deixar claro que o modo que um indivíduo enxerga a verdade não precisa mudar, mesmo quando ele tem o conhecimento de que a realidade plena não coincide com sua opinião. Ele pode ter ciência da verdade em sua forma mais plena, mas continuar tendo sua visão pessoal sobre ela, basta simplesmente aceitar que esta é uma forma individual de consideração. O que nunca devemos é excluir a possibilidade de existir uma verdade acima de todos os nossos critérios. Afinal, se a verdade não existisse, ela seria mentira.

1 comentários:

CELSO MATHIAS disse...

Roberta, no quinto parágrafo e terceira linha, conserta "visa" por "vida".
Bem, esse texto veio para mim.
Fiquei perplexo ao sair do Facebook e ver como as pessoas estão tratando as suas verdades ali. Parecia que eu tinha cometido um suicídio ou ido viajar para Marte ou Plutão. Aquele ato simples de deletar um perfil, para alguns ali era um ato impróprio, lascivo, insano, blasfemo. Talvez isso tenha me impactado muito mais do que qualquer outra coisa. Lendo este seu texto fui me lembrando de algumas situações e pessoas nessas redes sociais. Quando você diz " O que seria da verdade se ela não fosse relativa?"" Seria mentira". Acredito que a relatividade passa a ser algo amedrontador e mentiroso quando ela ocupa uma porcentagem quase total das pessoas e o que é relativo passa a ser realmente a "VERDADE IMPOSTA" ou “ MENTIRA VERÍDICA”. Isso sim é insano, porque elas não se dão conta do tamanho buraco da vida onde estão metidas.
Não estou aqui fazendo apologia contra o facebook. Quem o usa bem, ótimo. Mas a grande totalidade fez da mentira a verdade e isso passa a não ser relativo e sim a VERDADE SUPREMA. Constatei isso com a minha saída, parecia que iam me enfiar uma camisa de força e me tacar em um quarto acolchoado... Quando na verdade eu estava fazendo um ato próprio de sanidade para mim. Várias vezes me perguntei o porquê de estar ali e onde eu estava indo com aquilo. A minha resposta foi um profundo silêncio que me impactou profundamente. Não quero que a minha visão seja a verdade que não com consciência e reflexão, até porque cada ser precisa caminhar para si e não para os outros, não de uma maneira egoísta, mas procurando as nossas verdades conseguiremos entender as verdades do próximo!!
Só estou colocando a minha experiência e o impacto que foi para eu ver que muitos no mundo que gritam e não são ouvidos porque são a minoria esmagadora, podem estar certos.
A massa não quer saber da verdade relativa. Eles querem a mentira imposta. É mais fácil assim. Quantas pessoas conhecemos que como disse uma vez um conhecido meu “ Só estão ocupando espaço no mundo” ou mesmo como disse Fernando Pessoa “ Só existem porque respiram”?
Quando você diz “É preciso visualizar a situação de forma abrangente e não individual. Aquilo que mais parecer simples e coerente para o decorrer do universo, para a ordem natural das coisas, “ Mas é preciso se perguntar também: “ O que é a coerência?” “ O universo está de acordo com isso?” “Pra aonde vai a humanidade com essa tal ordem natural das coisas?”.
Sinceramente, vejo que as pessoas batem cabeça, não só no facebook como de um modo geral e nem tão pouco querem ou conseguem se perceber disso.
Não quero ser um “senhor da verdade de nada” apenas percebo algo de doente na sociedade vigente que eu não quero para mim. Parece-me que é algo tipo: Um hospício onde percebi que eu não fazia parte daquilo e fugi pela janela... “Vieram atrás de mim e me perseguiram como se eu fosse um bandido, mas no fundo eu só me dei conta que não era louco”.
Quando você diz “O que nunca devemos é excluir a possibilidade de existir uma verdade acima de todos os nossos critérios.” Fico pensando pra quê existir uma VERDADE ACIMA DOSNOSSOS CRITÉRIOS? Sse a “verdade falsa” ou o paradoxo vigente é o que importa para a maioria esmagadora. Portanto vivo a minha verdade para evolução pessoal porque no final das contas o que importa disso tudo não é se aceitamos ou não a VERDADE IMPOSTA ou a NOSSA VERDADE e sim o que fazemos com isso tudo para o melhor de nós e do mundo.

Beijão pra ti.