25 de abril de 2010

...tempo?




Imaginemos o universo composto pelas Cordas de Einstein. Cada fluxo de energia segue uma linha e, cada corpo celeste sofre suas respectivas influências energéticas, de acordo com a posição em que se encontra no espaço. Por exemplo, como a Terra se encontra no meio da “corda” da gravidade, obviamente possui densidade gravitacional; já a Lua, por não estar no mesmo local, não compartilha da mesma experiência. Desta forma, por estar fora deste campo, tudo nela flutua.

As “cordas”, nada mais são que grandes correntes energéticas, compostas por suas respectivas dimensões de espaço (comprimento, largura e altura), elementos (eletromagnetismo, massa, gravidade, etc) e Tempo. O tempo é o que rege cada uma destas cordas – e qualquer espaço formado – assim como o espaço rege seus elementos. Sendo assim, o espaço rege os elementos e o Tempo rege o espaço. Ele é a composição que monitora um universo e todas as suas ações.

O Tempo é relativo. Cada espaço possui uma série de elementos que o torna característico, desta maneira, outras dimensões, com suas determinadas composições, possuem tempos diferentes. Ele é o Guardião do espaço em que se vive.

Cada universo possui uma característica. Com isto, creio que seja possível conhecer inúmeros tempos diferentes. Vamos supor que algum corpo celeste sofra uma gigantesca explosão, através de reações cósmicas, num determinado ponto de qualquer uma das cordas mencionadas. Um Big-Bang extremamente poderoso, com seu poder, poderá rasgar o “véu”, rompendo tal campo de força e nos levando à uma outra dimensão. E neste outro espaço, o tempo com certeza não será o mesmo. É aí que será possível ver outras de suas faces - ir para um futuro ou voltar à algum passado. Tudo irá depender do lugar que se irá parar.

Cada universo, possui um tempo; e é ele quem guarda e rege o seu espaço.

2 comentários:

Jesus Pires disse...

Esse texto é muito bom... vc que escreveu?
Parabéns!

Roberta Cortês disse...

Sim! =)
Obrigada, Jesus