16 de janeiro de 2008

Marketing Filosófico

Logo começam as aulas da faculdade novamente...
Pra quem não sabe, faço publicidade e propaganda, e eu estava me lembrando das aulas de marketing. Me veio algum pensamento à respeito disso.
O ser humano precisa acreditar em algo que seja maior que ele, para obter explicações que ele não possui, ou até mesmo para buscar novas respostas para aquilo que ele não aceita, além de sentir a necessidade de se apegar a algo que o faça bem, fazendo com que orações e hábitos de ir à igreja, por exemplo, sejam um ritual imprescindível, podendo chegar a ser uma obrigação.A maioria das pessoas que já têm uma família, ainda vive através desta suposta obrigação. A tática utilizada pela maioria das igrejas que tem templos como instituição é a de pesquisar sobre o que cada indivíduo precisa. As pessoas têm necessidades diferentes, por isso é imprescindível conhecer a aspiração de cada um. Um exemplo disso é O Congresso Empresarial da Igreja Universal do Reino de Deus, que é uma forma de reunião voltada especificamente para empresários, comerciantes e pessoas com dificuldades financeiras comuns, que acontece nas segundas-feiras. A divulgação acontece durante todo o fim de semana através dos programas televisivos da Igreja.
Há também livros nas portas de alguns templos, para que as pessoas coloquem o que precisam ou desejam para melhorar suas vidas.Sabendo o que cada um necessita, fica mais fácil despertar o interesse particular, e é passada a idéia de que a instituição tem o poder de pressagiar seus anseios. É a técnica do falar o que se quer ouvir, onde o segredo é tratar do mau terreno, apresentando solução terrena: dinheiro para quem precisa de dinheiro, família para quem precisa de família. É como se fossem satisfazer todas as vontades que se têm.
É comum ouvirmos depoimentos de pastores, tais como: "Nós somos os únicos que ouvimos o clamor do povo."Ao propagar a cura para todos os males, tanto materiais quanto espirituais, percebe-se um marketing com o fator de persuasão em massa.
Cada fiel que contribui finaceiramente, se vê cada dia mais nesta obrigação, caso contrário, em sua linha de raciocínio, estará sendo ingrato à Deus e poderá perder o que havia conquistado por conta disto. Daí então, surge o hábito de freqüentar e dar o dízimo. Por isso que, muitas igrejas conseguem seguidores fiéis e leais apenas à sua instituição.
Além de conquistar, eles sabem muito bem como alimentar e nunca perder seus "clientes" para a concorrência.

Não discutindo sobre religião, e sim, marketing.

Por Roberta Cortez

1 comentários:

ੴ Celle ੴ disse...

Oiiie! Retribuindo a visita e começando a ler o blog! Já gostei do que li! E já está no meus favoritos!
Bjooooo e volte sempre