16 de janeiro de 2008

Orgulhosamente Terráquea

eu amo a vida e o que ela me traz
eu amo a luz do sol quando o dia amanhece
amo escutar o cantar dos pássaros
amo o cheiro de praia e ouvir o som do mar
mas amo também a chuva, a tempestade
e o poder que ela tem de lavar
eu nasci dela e pra ela vou voltar

eu faço valer a pena cada sorriso e cada lágrima em meu rosto
o toque da minha mão sobre a pele de quem eu amo
eu gosto das pequenas coisas da vida
pois elas são as que mais me trazem alegria
eu amo ver sorrisos, flores, terra, grama
fazemos parte delas e de quem nos ama

eu sei que tudo na vida terrena passa
sei também que o bem e o mal vivem numa balança
o amor e o ódio se equilibram entre si
após o caos sempre vem a alegria, a esperança

olhe para alma do amigo, da planta, do animal, do seu irmão
você entenderá o sentido da vida, seu sabor.

1 comentários:

Renata Medeiros disse...

amei o poema
poucas pessoas sabem transcrever p um poema sentimentos reais
parabéns