14 de janeiro de 2008

apesar do que restou
sinto um cheiro, onde estou?
vaga mente, vagaluminosa
paira no ar, mas nunca como prosa
diante do milagre
cara a cara por um instante
mil lanternas na minha face
não me parece confortante
mas a vitória sempre vem
digo, imaginamo-la no além...

0 comentários: